10 opções para quem quer fazer intercâmbio depois dos 30 anos

Uma temporada fora do país pode aprimorar a carreira e ampliar horizontes

Os anos foram passando, você terminou a faculdade, trabalha muitas horas por dia e, de vez em quando, se pega pensando em colocar a mochila nas costas e sair por aí? Saiba que você não está sozinho. É cada vez maior o número de ofertas de intercâmbio para quem passou dos 30, 40 anos.

Na internet não param de “pipocar” histórias de pessoas que largaram tudo e foram viajar pelo mundo. No meio disso tudo, é comum que venha um misto de sentimentos, um embate constante entre empolgação e frustração, afinal, você pode estar pensando que está “velho demais” para fazer uma loucura ao mesmo que vê a vida passando e buscar viver o aqui e agora.

O intercâmbio é algo como a “coluna do meio” entre continuar na rotina atual e largar tudo. Afinal de contas, você pode se organizar para passar uma temporada fora. Opções não faltam: cursos de idiomas, especialização, MBAs, etc. Para te ajudar na tomada de decisão, a página Quanto custa viajar separou alguns destinos para te deixar ainda com mais vontade:

1. Canadá
Paraíso para intercambistas, o Canadá acaba promovendo uma troca cultural imensa já que atrai gente do mundo todo, de todas as idades e com uma grande vantagem: costuma ser mais barato do que viajar para Inglaterra ou EUA. Segura, limpa e organizada, Toronto reúne boa parte dos estrangeiros que buscam aperfeiçoar línguas, trabalhar e viver com mais qualidade de vida. Vancouver e Montreal também estão entre os destinos canadenses mais procurados, dando aos estudantes a chance de aprenderem as duas línguas oficiais: inglês e francês.

2. Dublin
A Irlanda costuma atrair muitos jovens, mas também há espaço para quem já deixou os 20 anos de lado. A capital, Dublin, é uma das mais requisitadas por conta da qualidade de vida, o número de ofertas em escolas e preços mais em conta quando comparada com outros destinos de intercâmbio, como a Austrália e o Canadá, por exemplo. Outro atrativo para o público mais velho é o salário mínimo, o segundo maior da União Europeia.

3. Nova York
A cidade dispensa apresentações, numa mesma calçada você encontra pelo menos umas três culturas e línguas diferentes. Mesmo que o processo de intercâmbio seja mais burocrático do que na Europa, o destino não deixa de atrair gente de diversos países em busca de oportunidades, novidades e diversão. Quem já passou dos 30, pode tentar bolsas em universidades, MBAs, cursos de idiomas entre outros, para aprimorar a carreira.

4. Londres
O Reino Unido é bem popular entre os intercambistas, mas Londres ganha disparado na lista de interesses. Isso porque a cidade é cosmopolita, dinâmica, cheia de cultura e pubs de qualidade. Não podemos esquecer de mencionar que no país estão algumas das mais tradicionais e renomadas escolas do mundo todo, como as Universidades de Cambridge e Oxford, além da London School os Economics and Political Science, a terceira melhor de UK.


5. Paris
De acordo com a Organização Mundial do Turismo, a França é o país mais visitado do mundo e o que não faltam são motivos para essa viagem. Seja pelos negócios, pela cultura ou pela gastronomia, os viajantes adoram ouvir “bonjour” “merci” no berço da língua francesa. Um dos grandes polos da moda também atrai um público fashionista, que tem ali algumas das melhores escolas da área, assim como as de confeitaria, que são bastante cobiçadas. Os intercambistas também aprendem e aprimoram o idioma e podem trabalhar meio-período. Desde 2007 não é mais necessário solicitar uma autorização prévia para poder trabalhar, bastando assinar um contrato para formalizar o vínculo.


6. Berlim
A capital alemã é um dos destinos mais procurados da Europa e atrai pessoas do mundo todo, intercambistas ou não. O ensino na capital alemã é um dos grandes destaques para os estudantes, que ali encontram ótimas oportunidades, com cursos baratos ou gratuitos, além de algumas das melhores universidades do mundo. É possível arrumar um trabalho de até 120 dias por ano em período integral ou até 240 dias em meio turno. É também uma boa chance para aprender ou aperfeiçoar a língua local, se enriquecer culturalmente e conhecer os países vizinhos.

7. Nova Zelândia
Ao lado da agitada Austrália, o país é o destino ideal para os adeptos aos esportes radicais, seja na neve, nos belos lagos ou no meio das montanhas. Paisagens deslumbrantes é o que não falta na ilha vulcânica. Além de atrair jovens e mochileiros, também tem espaço para famílias e pessoas acima dos 30, 40 ou 50 anos. Para pessoas de até 30, é possível tirar o visto Working Holiday, que une “férias” e trabalho por até 12 meses.

8.Buenos Aires
Bem conhecida dos brasileiros, a capital argentina é rica em cultura, patrimônio e gastronomia, com a vantagem de ser mais acessível do que a Europa, por exemplo. Com a moeda local valendo menos do que o real brasileiro, a situação econômica fica mais fácil, além da adaptação mais fácil e a vantagem de estar “logo do lado” de casa. Os brasileiros não precisam de passaporte para viajar ao país e podem morar e trabalhar em Buenos Aires sem grandes processos burocráticos. Porém, esteja atento ao mercado de trabalho e a inflação atual, que torna a situação um pouco mais delicada e, em certas circunstâncias, até mais caro do que viver no Brasil. Muitos estudantes optam por bolsas em universidades ou pelo aprimoramento da língua espanhola.

9. Valência
A terceira maior cidade espanhola está ganhando o olhar dos brasileiros. Valência é uma cidade vibrante e litorânea, consolidada como a maior praia urbana da Europa – são 7km de enseada! E não é só isso, também está acostumada a receber intercambistas de todas as idades, que estudam e trabalham na região. Na Espanha, os estudantes internacionais têm a chance de solicitar permissão de trabalho de até 20 horas semanais, desde que esteja relacionado a algum programa de estudo. O mesmo acontece em Málaga, na costa sul do país, que também atrai pessoas do mundo todo.

10. Ilha da Malta
O local tem caído na graça dos turistas nos últimos anos pelos mais diversos motivos. Além de ser um lugar paradisíaco e ter um clima agradável, o país tem um dos menores custos de vida de toda a Europa, o que o torna ainda mais atraente. Ao sul da Sicília, o arquipélago permite que brasileiros com cidadania europeia trabalhem no local por até um ano. Existem escolas específicas para quem já passou dos 30, formando turmas com idades semelhantes.

Tags: cursos intercâmbio viagem

Veja mais