4 Perguntas (e respostas) sobre Tesouro Direto

Francis Wagner, idealizador do App Renda Fixa, fala sobre sobre impacto das mudanças na político no Tesouro Direto

Os títulos públicos continuam sendo uma boa opção de investimento para quem tem objetivos em logo prazo. Francis Wagner, idealizador do App Renda Fixa, dá algumas dicas:

1.Há risco de investir no Tesouro Direto?
Nenhum investimento está livre de riscos. No entanto, mesmo com a situação política atual, os títulos públicos continuam sendo os ativos mais seguros do mercado, pois contam com a garantia do governo federal. O principal risco nesse cenário é precisar vender seus títulos antes do vencimento e perder dinheiro ou deixar de ter a rentabilidade esperada devido à marcação a mercado que existe nos títulos indexados ao IPCA e prefixados.

2.O que faço com meus título do Tesouro?
É importante ter em mente que esse tipo de investimento é para prazos mais longos. O ideal é levar o título até o vencimento. Assim, o investidor não tem problemas com as incertezas do mercado, pois o Tesouro Nacional garante o pagamento das taxas pactuadas no ato da compra desde que os títulos sejam levados até o vencimento.

3.Os títulos públicos ainda são uma boa opção?
Com certeza, sobretudo os títulos indexados à inflação, pois em momentos de crise pode-se aproveitar as oscilações nas taxas oferecidas. Um cenário de incertezas pode criar oportunidades para investidores mais arrojados ganharem com as oscilações nas taxas. Nesse caso, o investidor não leva o título a vencimento, mas aproveita as variações de preços para comprar e vender em prazos curtos, antecipando os ganhos.

4.Como escolher o título?
É muito importante que o investidor saiba a característica de cada título. Por exemplo, investidores que desejam acumular patrimônio deveriam evitar títulos que pagam cupons de juros, pois a rentabilidade é impactada a cada cupom emitido. Já pessoas que querem uma reserva de emergência podem optar pelo Tesouro Selic. Outro fator muito importante é comprar títulos com o prazo adequados às suas necessidades, pois alguns têm marcação a mercado e o resgate antecipado pode acarretar em resultados inesperados para o investidor.

Fonte: Metro Jornal

 

 

Tags: investidor investimentos Selic tesouro direto

Veja mais