5 Investimentos que você precisa conhecer

Especialistas indicam as aplicações mais atrativas da atualidade

Seja para comprar bens, suprir emergências ou planejar o futuro, conhecer os diversos tipos de investimentos disponíveis no mercado é fundamental. Conversamos com o consultor financeiro e mestre em Administração, Erasmo Vieira, e com Leonardo Morotti, assessor de investimentos na TORO Investimentos, que apontaram as mais atrativas categorias de aplicações da atualidade. Confira!

1 – Títulos públicos (Tesouro Direto)

Nesse tipo de aplicação, é como se o investidor emprestasse dinheiro ao governo. Considerados os ativos de menor risco na economia, os títulos públicos do Tesouro Direto apresentam liquidez diária, diversificação (de indexadores, de vencimentos e de fluxo de pagamento) e proteção inflacionária. O Tesouro Direto aceita pequenos valores, a partir de R$ 30. Para investir, basta fazer um cadastro prévio em uma corretora, que pode ser o banco onde já possui uma conta, por exemplo.

2 – Debêntures

As debêntures são consideradas títulos privados de renda fixa e também podem ser uma excelente alternativa de investimento. Não possuem garantias públicas e nem fundo garantidor de crédito. Ou seja, seu risco está atrelado à saúde financeira da empresa emissora. Por isso, é fundamental que o investidor escolha uma empresa sólida, que lhe transmita segurança.

3 - LCI e LCA (Letras de Crédito Imobiliário e Letras de Crédito do Agronegócio)

São títulos de renda fixa criados para financiar o investimento imobiliário e o agronegócio. A grande vantagem é que, por enquanto, não pagam imposto de renda. Boa opção para quem tem um montante maior e quer diversificar as aplicações.

4 - CDB (Certificado de Depósito Bancário)

Nesse caso, empresta-se dinheiro ao banco que, por sua vez, vai emprestá-lo a um outro correntista ou, então, aplicá-lo, voltando parte dos rendimentos ao investidor. É uma opção interessante para valores acima de R$ 50 mil.

5 – Ações

O mercado de ações é considerado uma modalidade de renda variável, ou seja, sem garantia de retorno para o investidor. Por isso mesmo, pode oferecer excelentes rendimentos a quem estiver disposto a correr mais riscos. Segundo os consultores, a melhor hora de investir em ações é quando o mercado está pessimista. No caso de uma estabilidade no cenário político e econômico do país, a tendência é que o mercado acionário gere retornos muito elevados. 

Tags: CDB Erasmo Vieira futuro investimentos LCA LCI Leonardo Morotti planejamento financeiro Tesouro Direito

Veja mais