Aluguel ou financiamento: qual vale mais a pena?

Como você pode tomar a decisão e qual é o melhor momento para cada uma?

Quando se começa a pensar em uma vida fora da casa dos pais, morando sozinha ou com um parceiro, a pessoa se vê diante de um universo de possibilidades. Casa ou apartamento? Um ou dois quartos? Precisa ter piscina ou uma área verde próxima? Qual é o melhor bairro? Todas essas perguntas são muito válidas, mas neste artigo o foco será: é melhor um aluguel ou financiamento?

Pode parecer improvável, mas existem vários casos em que o aluguel é mais vantajoso financeiramente do que entrar em um financiamento imobiliário – contrariando inúmeros conselhos ouvidos por aí. Antes te tomar qualquer decisão vale analisar os seguintes pontos: qual é o seu momento de vida, o que pretende com o imóvel (gerar patrimônio ou ter rentabilidade) e qual é o seu perfil. Afinal, tem gente que sonha desde criancinha com uma casa para chamar de sua e contra isso não há o que argumentar.

Por isso, é importante ter alguns detalhes bem claros antes de decidir pela entrada em um financiamento imobiliário ou a assinatura de um contrato de aluguel. A imobiliária Lar Imóveis te ajuda com algumas dicas. Por exemplo:

Qual é seu momento de vida?
Mesmo que você tenha dinheiro para investir em um apartamento, se a sua vida ainda não está muito acertada, pode ser interessante optar por um aluguel em vez de um financiamento. Isso porque o aluguel lhe oferece a mobilidade de troca de cidade, de bairro, para um imóvel maior ou menor, novas avaliações do preço do custo de vida no entorno e até reconsiderações de vizinhança sem grandes transtornos.

Já a compra de um imóvel pode significar uma dívida de, no mínimo, uma década e coloca algumas amarras maiores, em termos de localização e orçamento. Uma vez que você está em um momento mais sólido, pode ser interessante buscar a opção por algo mais permanente, para não ficar à mercê de reajustes de aluguel e mexer na estrutura e decoração da sua casa como bem entender.

Quanto de entrada você teria para oferecer?
Se o valor que você tem de entrada ainda é muito baixo, pode não ser interessante buscar um financiamento imobiliário. Existem dois grandes motivos para isso: os bancos, em geral, financiam no máximo 80% do valor de um imóvel, a uma taxa média de 9% a 12% ao ano. Isso significa que, em um apartamento de R$ 300 mil, seriam necessários ao menos R$ 60 mil para dar de entrada. Muitas vezes, você pode pagar três vezes o valor inicial do imóvel – dois deles só de juros.

Além disso, uma entrada muito pequena pode significar juros mais altos e períodos de pagamento mais longos – o que faz com que você perca dinheiro. Se investidos, possivelmente a médio prazo, você teria uma rentabilidade maior e comprar um imóvel com mais calma e mais barato em um outro momento.

O que você sonha?
Faz parte do seu sonho ter uma casa própria? Ou você deseja ter rendimentos a longo prazo e criar um patrimônio? Apesar de puramente emocionais, esses fatores também influenciam na hora de decidir por um aluguel ou financiamento.

Optar por um aluguel é mais interessante quanto à facilidade de mudar de endereço ou de imóvel, a necessidade de um investimento bem menor e a possibilidade de contratos mais curtos. Já a compra é mais recomendada para quem sonha com um patrimônio, a liberdade de reformar, uma valorização a longo prazo e tarifas fixas.

Financeiramente falando, qual é o melhor investimento?
Tirando todos os fatores emocionais e de momento de vida que comentamos anteriormente, falaremos agora de cifras. Economistas frequentemente vão na contramão do dito popular e costumam recomendar o aluguel de imóveis na hora que se fala de como fazer o seu dinheiro render mais. Isso porque, dependendo da taxa de aluguel do seu imóvel e do tipo de aplicação que você colocar o seu dinheiro, ele pode render mais do que a valorização média de 6% ao ano dos imóveis e ainda cobrir o pagamento do seu aluguel mensal. Para descobrir qual é o mais vantajoso financeiramente, é importante avaliar os dados em dois cenários diferentes:

  • Tenho dinheiro para o pagamento à vista de um imóvel
    Nesse caso, descubra qual é a taxa de aluguel de um imóvel semelhante. Ela é calculada por meio da divisão do valor do aluguel, pelo valor do imóvel e multiplicado por 100. Se essa taxa for maior do que o rendimento de aplicações mais conservadoras, como o Tesouro Selic (em torno de 13%), o CDB (10% a 15%, em média) ou a própria poupança (próxima de 8%), comprar é mais rentável. Do contrário, é melhor escolher uma das opções acima e investir o dinheiro.
     
  • Tenho o valor apenas para uma entrada pequena
    Nesse caso, compara-se à taxa de aluguel e o Custo Efetivo Total do Financiamento (CETF).  Esse último valor os bancos e agentes de crédito são obrigados a te informar. Se o CEFT foir maior do que a taxa de aluguel, vale mais a pena investir o dinheiro por um tempo e só mais tarde comprar o imóvel com prazo e juros menores.

 

Tags: aluguel apartamento casa financiamento imóvel investimento planejamento financeiro

Veja mais