Crise não é desculpa para ficar em casa

Com alguns ajustes no roteiro, é possível cair na estrada sem comprometer o bolso

Com o dólar alto, viajar para o exterior ficou um pouco mais difícil. E mesmo os roteiros nacionais podem ter custos altos devido ao aumento da inflação.  Porém, com pequenas economias e alguns ajustes no roteiro, é possível aproveitar bem as férias sem comprometer o bolso. Confira nossas dicas!

Devagar se vai longe: se você economizar apenas um real por dia, antes de um ano já terá reunido valor suficiente para um romântico final de semana a dois. Trezentos reais (R$300) é quanto custa, por exemplo, uma estadia de dois dias para um casal em Campos do Jordão, segundo uma operadora de turismo sediada em São Paulo.

Não desperdice o dinheiro de sua viagem: é possível planejar viagens mais caras apenas reduzindo custos do dia a dia. Por exemplo: um pacote de 4 noites para Santiago, no Chile, sai por volta de R$ 2.500, e requer ajustes no orçamento doméstico. Afinal, o valor necessário para essa viagem pode estar sendo desperdiçado naquela academia que você paga e nunca vai ou nos planos de TV a cabo com dezenas de canais que você não assiste. Reduzir um pouco o número de vezes que você come fora de casa também pode reverter numa boa economia direcionado ao plano de viagem. As compras de supérfluos chegam a comprometer até 5% do valor do salário.

Viaje na baixa temporada: conseguiu juntar o suficiente para fazer uma viagem? Ótimo! Faça esse dinheiro render mais escolhendo um destino que esteja em baixa temporada, quando os preços são mais atraentes.  Normalmente os meses de janeiro, fevereiro, julho e dezembro são considerados de alta temporada no Brasil, e os preços ficam ainda mais salgados no Ano Novo e Carnaval. Mas não ocorre o mesmo em todos os lugares: por exemplo, na Europa a alta temporada é no mês de agosto. 

Descubra novos lugares: considere a possibilidade de viajar a alguns destinos menos conhecidos, mas tão interessantes quanto os mais procurados (e caros) das agências. O sul da Ásia, por exemplo, tem apresentado excelentes condições ao viajante. Embora a passagem aérea seja um pouco mais cara, sua experiência no local será tão barata que valerá a pena. É o caso de Camboja, Vietnã e Índia.

Economize durante o passeio: uma viagem econômica permite fazer mais passeios e ainda voltar para casa com dinheiro no bolso. Hospedagem em hostels,  uso de transporte público e compra de comida em mercados locais, em vez de restaurantes caros, garantem uma ótima economia e ainda permitem vivenciar um pouco do estilo de vida local.

Consultoria: Roberta Sogayar, professora do curso de Turismo da Universidade Anhembi Morumbi e Pedro Braggio, educador financeiro.

Tags: planejamento financeiro viagens

Veja mais