Educação Financeira é arma para independência e empoderamento da mulher

Investir e cuidar das finanças deve ser prioridade, lembram os especialistas


Numa sociedade em que ainda persistem desigualdades entre homens e mulheres – especialmente quando se trata de renda -, a educação financeira é uma arma importante para a independência e empoderamento da mulher, apontam especialistas. O poder de escolha é o maior ganho das mulheres que decidem tomar as rédeas de suas vidas financeiras.

“A mulher que controla suas finanças tem poder de escolha e poder de decisão de sua vida. Sem recursos e com contas sob controle, a mulher vai sempre depender de alguém”, afirma Sandra Blanco, consultora de investimentos da Orama e autora do livro “Mulher Inteligente valoriza o Dinheiro, Pensa no Futuro e Investe”.

A grande questão é que o poder de escolha vai muito além apenas do dinheiro, lembra a diretora de ensino da Escola Nacional de Seguros, Maria Helena Monteiro:

-A independência financeira é uma questão que afeta toda a vida da mulher e permite ser dona do seu nariz, exercer todas as escolhas, sejam as da vida afetiva ou financeira. As duas coisas estão muito associadas. Para o homem, ter dinheiro é poder. Para a mulher, segurança.

Um dos aspectos que ainda precisa ser enfrentado pelas mulheres é a dependência financeira de seus parceiros. E isso se torna ainda mais grave no momento da velhice, já que a expectativa de vida das mulheres é maior que a dos homens. No Brasil, a esperança de vida ao nascer era de 79,1 anos para as mulheres e 71,9 para os homens em 2015, segundo o IBGE.

“As mulheres fazem loucuras em nome do amor e do consumo. Mas só se consegue cuidar bem do outro se suas finanças estiverem controladas. Gosto de compara com as máscaras de oxigênio do avião, é preciso primeiro vestir a sua para depois ajudar quem está do seu lado. Às vezes digo que é preciso trocar o marido por um plano de previdência privada, a mulher tem que cuidar do seu futuro”, diz Maria Helena Monteiro.

“Educação Financeira reduz riscos”
Coach financeira e responsável pelo site “Financial Woman”, Camile Gaines diz que um dos maiores obstáculos para as finanças femininas é o fato de as mulheres evitarem falar de dinheiro e não avançarem em conhecimento sobre o assunto. Ela cita uma pesquisa que aponta que 80% das mulheres se consideram apenas iniciantes quando se trata de investimentos, enquanto entre os homens esse percentual é de 50%.

“A educação financeira é o que reduz riscos, a informação torna as mulheres mais confiantes e aumenta a chance de que o dinheiro dure mais. O conhecimento é uma forma de empoderamento. Sem dinheiro, não podem escolher”, afirma Camille.

Ela defende que as finanças sejam colocadas como prioridade pelas mulheres, já que muitas vezes acabam colocando outras questões na frente. “É importante que a mulher faça uma escolha. Elas dizem que querem aprender mais, mas colocam outras coisas na frente. Investir e cuidar das finanças deve ser prioridade”, finaliza.

Leia também: Vai ter mulher independente financeiramente, sim!

Fonte: Extra/OGlobo

Tags: comportamento consumo educação financeira investimentos mulher

Veja mais