Esclareça suas dúvidas antes de pegar um empréstimo

Especialistas te ajudam a escolher melhor caminho


Um empréstimo, às vezes, é a única maneira de realizarmos um sonho material - como a compra de uma casa. A operação tem contrato, exige a assinatura dos representantes legais das partes envolvidas e o dinheiro pode ser usado para qualquer fim. Parece fácil, não é? Mas, na hora de fechar, muitas dúvidas costumam surgir. Veja as respostas dos especialistas para algumas delas:

Qual é a diferença entre empréstimo e financiamento? 
O economista Carlos Eduardo Caparelli explica que empréstimo é um contrato em que se cede um valor determinado para o consumidor, obrigando a restituição em espécie, sem a necessidade de especificar a que se destina o dinheiro. É mais fácil de conseguir para pequenas questões do cotidiano (como para o pagamento de dívidas, por exemplo), mas os juros são mais altos. Já o financiamento visa destinar capital para um empreendimento, com definição da sua aplicação, por exemplo a compra de um imóvel, veículo, etc. Em geral, os valores de financiamento são mais altos, mas os juros tendem a ser mais baixos, pois a instituição bancária considera essa uma modalidade de menor risco: em caso de inadimplência do cliente, o banco pode resgatar o bem que está sendo financiado.

Quais os maiores cuidados na hora de fazer um empréstimo?
Para o economista Caparelli, é essencial que o tomador do empréstimo leia o contrato inteiro. “Os impostos incidentes sobre as operações financeiras, IOF, e as tarifas bancárias invariavelmente tornam os empréstimos mais caros que a taxa de juros indicada no momento da negociação. O documento não deve ser assinado antes que todas as condições estejam claras e acordadas”, orienta. Já Renata observa que existe o serviço de “custo efetivo total”, ferramenta criada pelo Banco Central para que o consumidor saiba exatamente qual linha é mais vantajosa. “Na hora de pedir o empréstimo, qualquer pessoa pode exigir o custo efetivo total. Com esse recurso é possível comparar quem oferece menor taxa e escolher uma proposta que vale a pena”, enfatiza.

Depois de quanto tempo o empréstimo é liberado?
Renata Reis diz que isso varia bastante, mas hoje as empresas estão preocupadas em usar o prazo de liberação como diferencial da concorrência. “Há um interesse grande da instituição financeira em facilitar o crédito para o consumidor, pois ela lucra com as taxas”, afirma.

Existem multas por atraso? 
“Se o consumidor não pagar na data que foi fixada, no dia seguinte a empresa pode cobrar multa. Já os juros e a correção monetária são liberados de acordo com o previsto no contrato”, diz Caparelli. Por isso, é importante pensar em imprevistos futuros antes de se fazer um empréstimo e procurar sempre por taxas menores.

Tags: empréstimo endividamento finanças multa

Veja mais