Estudar no exterior pode caber no seu bolso

Pouco dinheiro não é obstáculo, conheça opções mais acessíveis

Realizar um intercâmbio em alguma universidade do exterior é um sonho para muitos estudantes. Da mesma forma, muitos pais sonham em proporcionar aos filhos essa experiência. E não por acaso, afinal, além do aprendizado acadêmico, a possibilidade de aprimorar o idioma e, ainda, conhecer uma nova cultura trazem ganhos para o currículo e experiência para a vida. E, hoje, diante de várias alternativas oferecidas por instituições públicas e privadas, a experiência do intercâmbio está mais acessível, mesmo para os alunos de menor poder aquisitivo. Confira algumas opções:

Aiesec: a organização criada na Bélgica em 1946 (o nome por extenso é Association Internationale dês Étudiants en Sciences Economiques et Commerciales), é uma plataforma internacional organizada por jovens universitários e recém-graduados, que, por meio do trabalho dentro da organização, promovem intercâmbios profissionais e sociais. É preciso inscrever-se no site da instituição.

Bolsa Santander: com diversas modalidades de bolsas de estudo, este programa contempla estudantes brasileiros para fazer intercâmbio em locais como China, Espanha, Portugal, Reino Unido e países da América Latina (Argentina, Chile, Colômbia, México, Porto Rico e Uruguai), entre outros. O bolsista recebe um valor em dinheiro (variável conforme a bolsa), para custear a viagem e o curso. Saiba mais em www.santanderuniversidades.com.br

Capes: as bolsas da Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, do governo federal, são destinadas principalmente para quem está fazendo ou deseja fazer doutorado ou pós-doutorado. São sete modalidades de bolsa e os bolsistas são inteiramente subsidiados. Mais informações, acesse: http://www.capes.gov.br/

Ciências Sem Fronteiras: o programa foi feito para alunos de graduação, tecnologia e pós-graduação (mestrado profissional, doutorado sanduíche, doutorado pleno no exterior e pós-doutorado).  Com parceria em 30 países do mundo todo, é preciso estar regularmente matriculado em instituição de ensino superior no Brasil, em cursos relacionados às áreas prioritárias do Ciência sem Fronteiras: tecnologia, engenharias e ciências exatas e biomédicas. As aberturas das chamadas devem ser conferidas no site.

Fapesp: a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo oferece dois tipos de bolsas no exterior: a Bolsa de Estágio de Pesquisa no Exterior (BEPE), que contempla estudantes de graduação, mestrado e doutorado, e a Bolsa de Pesquisa no Exterior (BPE), destinada apenas para quem está fazendo doutorado. As solicitações das bolsas podem ser feitas em qualquer época do ano. Informações aqui.

Orange Tulip Scholarship: voltado especialmente a estudantes brasileiros de graduação, mestrado ou MBA, as bolsas são para cursos ministrados em inglês na Holanda. Integrais ou parciais, elas cobrem o valor da anuidade da universidade e, em alguns casos, outros custos, como visto e seguro. Informações no site do programa.

Tags: Aiesec Bolsa Santander Capes Ciências Sem Fronteiras educação faculdade Fapesp intercâmbio Orange Tulip Scholarship

Veja mais