Gastos aumentam após a aposentadoria; planeje-se

Segundo a pesquisa, um em cada quatro aposentados, em média, está inadimplente

Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), revela que boa parte dos idosos estão endividados. A maior fatia dos cadastros negativos corresponde à faixa etária de mais de 65 anos de idade. Segundo a pesquisa, um em cada quatro aposentados, em média, está inadimplente, apresentando atraso de pagamento superior a 90 dias. De acordo com o gerente financeiro do SPC Brasil, Flávio Borges, uma das razões da inadimplência nessa população é a combinação entre a redução da renda e um aumento de gastos, em geral com a saúde, com itens como remédios e exames.

A pesquisa desmente a ideia, bastante comum, de que os gastos diminuem com a aposentadoria. Algumas despesas, como a educação dos filhos, por exemplo, realmente deixam de existir. Em compensação, outras sobem. É o caso dos planos de saúde, que ficam mais caros conforme a idade do assistido. Por isso, para não ser obrigado a entrar na inadimplência ou fazer um empréstimo consignado, o melhor é se planejar bem antes da aposentadoria.

O educador financeiro Álvaro Modernell, diretor da Mais Ativos Educação Financeira, orienta que, quanto mais próximo estiver o momento da aposentadoria, mais importante é ter conhecimento dos gastos: “Desde o início da vida profissional, é importante saber como gastamos o nosso dinheiro. Porém, a vida de um profissional aos 25 anos de idade, por exemplo, costuma ser bem diferente da vida de um profissional que está chegando à aposentadoria, no que diz respeito aos hábitos de consumo e necessidades. Daí a importância de acompanhar atentamente seus gastos alguns anos antes de parar”. O detalhamento de seus gastos atuais pode ajudá-lo a planejar sua vida financeira no futuro. Veja alguns itens que devem ser levados em consideração:

Custo de vida
A maioria dos aposentados precisará gastar entre 60% e 90% de sua renda para manter o mesmo padrão de vida de quando estava na ativa, o que não será possível apenas com o benefício pago pelo INSS: “Por isso, quanto mais puder investir em um plano de previdência, melhor. Se o participante tiver clareza dos seus gastos, pode se organizar para aumentar suas contribuições. Assim, terá um ganho imediato de 100%, pois o patrocinador entra com uma contribuição de igual valor”, lembra o educador financeiro.

Transferência de custos
Com um bom planejamento, você poderá quitar sua casa, por exemplo, antes de se aposentar. O gasto com o financiamento retirado de seu orçamento poderá ser substituído por outro, como viagens ou planos de saúde.

Inflação
Em geral, muita gente esquece de levar em conta o efeito da inflação. Após dez anos de aposentadoria, os custos mensais não serão os mesmos do seu primeiro dia como aposentado. E o recebimento de seus benefícios poderá não acompanhar os aumentos inflacionários. Por isso, é importante fazer ajustes em seu orçamento durante a aposentadoria, mantendo-se sempre a par dos aumentos causados pela inflação.

Tags: aposentadoria custo de vida planejamento

Veja mais