Meu filho quer ser empreendedor. E agora?

Pesquisa mostra que 65% dos jovens preferem ter seu próprio negócio a construírem carreira numa empresa

Enquanto alguns adolescentes estão aproveitando o tempo livre com os amigos, seu filho está buscando formas de ganhar dinheiro, além da mesada que recebe, fazendo trabalhos extras, ou pesquisando como criar um produto que irá revolucionar o mercado? Cuidado, você pode estar diante de um futuro empreendedor.

O mundo está mudando e os conceitos de felicidade e uma vida bem-sucedida já não são mais os mesmos. Se antes alcançar um cargo de gerência, acompanhado de um bom salário, era o sonho de consumo dos jovens recém-formados, hoje, muitos querem passar longe disso e batalham para ter seu próprio negócio.

O resultado da pesquisa “Juventude Conectada” reforça essa informação e mostra que 65% dos jovens preferem abrir o próprio negócio a trabalhar numa empresa com carteira assinada. O levantamento feito pela Fundação Telefônica, Ibope e Instituto Paulo Montenegro ouviu 1.440 jovens com idade entre 15 e 29 anos de todo território nacional. Os homens demonstraram maior interesse (67%) contra 63% das mulheres. Entre os entrevistados, apenas 27% preferem ter um emprego normal, em uma empresa.

A possibilidade de ser seu próprio chefe, estabelecer seus horários e trabalhar com o que se gosta faz do empreendedorismo um assunto fascinante. E, mesmo que pareça uma escolha arriscada, os pais podem (e devem) ajudar os filhos nessa missão. Um ponto importante é lembrar que a vida de um empreendedor não é só glamour e muitas pessoas estão em busca do mesmo propósito. Por isso listamos algumas dicas para que você conheça um pouco mais desse universo:

Conhecimento nunca é demais: a gente sabe que o Mark Zuckerberg nem terminou a faculdade e está entre os homens mais poderosos do mundo. Mas, isso é exceção. Mesmo que a universidade não pareça o lugar mais inovador do mundo, vale incentivar seu filho a buscar o bom e velho diploma. O curso superior pode, inclusive, ajudar no amadurecimento do projeto de negócio, etc.

Mais que uma grande ideia: a criatividade e a vontade de inovar são fundamentais na hora de empreender. No entanto, para ver seu negócio decolar, o empreendedor precisa buscar habilidades em diversas áreas. Quem sabe desenvolver um aplicativo, por exemplo, precisará de ajuda para a divulgação e comercialização dos produtos. Buscar sócios pode ser uma boa alternativa.

Um emprego formal para começar: se até os mais experientes passam por dificuldades na hora de empreender, imagina que não possui qualquer tipo de experiência com o mundo corporativo. Para isso, um emprego “careta” pode ser o caminho para adquirir habilidades que serão necessárias no seu empreendimento. No melhor estilo “um passo atrás, antes de seguir adiante”.

Antes de dar certo, pode dar muito errado: o Brasil ocupa lugar de destaque quando o assunto é empreendedorismo. Estamos entre os países que mais abrem novos negócios. Por outro lado, muitas dessas empresas irão fechar as portas antes de completarem o primeiro ano de existência. Quem sonha em ser empresário precisa estar preparado para muitos obstáculos, incluindo a burocracia e o grande números de impostos.

No fim das contas, o mais importante é mostrar confiança e incentivá-los a batalharem por seus sonhos. Com as relações de trabalho cada vez mais frágeis, o espírito empreendedor pode ser o caminho para um futuro brilhante. Escreve aí!

Tags: empreendedorismos família filhos novos negócios

Veja mais