Não consegue comprar seu imóvel? Cooperativas habitacionais podem ser a solução

Trata-se de uma associação de, no mínimo, 20 pessoas, que vai trabalhar unida, com o objetivo de comprar ou construir um imóvel

Quem sonha com a casa própria, mas não tem condições de encarar os preços do mercado imobiliário, nem aptidão para negociar com proprietários, incorporadoras ou empreiteiras, pode contar com a opção de se filiar a uma cooperativa habitacional. Trata-se de uma associação de, no mínimo, 20 pessoas, que vai trabalhar unida, com o objetivo de comprar ou construir um imóvel.


Qualquer grupo pode formar uma cooperativa, mas já existem algumas constituídas, às quais é possível se associar. Nessas cooperativas, os preços são mais baixos, porque não são cobrados juros, como nos financiamentos oferecidos pelas instituições financeiras.

“O sistema pode reduzir em até 50% os custos com a aquisição da moradia, pois o cooperativismo permite eliminar completamente os intermediários. Outro ponto é que a cooperativa não visa lucro, como fazem os bancos”, explica Paulo Gonçalves Lins Vieira, coordenador jurídico da Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo (Ocesp) e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo no Estado de São Paulo (Sescoop/SP). Outra vantagem dos cooperados é a oportunidade de acompanhar o andamento da obra passo a passo e checar a qualidade de todos os processos e produtos. Confira outras vantagens da cooperativa habitacional:

  • Por formarem um grupo, os cooperados conseguem barganhar, garantindo preços mais baixos tanto para a compra de materiais como para a mão de obra. Junto com um número maior de pessoas, também é possível obter melhores condições de pagamento.
  • Nas cooperativas, os sócios têm voz ativa. Nelas, a vontade da maioria, expressa nas assembleias, determina o andamento dos trabalhos. “O cooperado precisa saber que ele não é um cliente, mas um sócio do empreendimento, com direitos e deveres a cumprir”, informa Vieira.
  • Se um cooperado, por algum motivo, precisar interromper o pagamento de suas cotas, poderá ter de deixar o grupo. Porém, isso não significa que ele vai perder o que já investiu até ali. “Ao sair, ele poderá receber de volta o valor das cotas pagas. Só não tem direito ao valor da taxa de administração, que consiste no rateio de despesas da sociedade. O percentual da perda é variável, conforme o que for decidido pela assembleia de moradores que compõem cada cooperativa”, informa o especialista. A cooperativa também pode substituir o cooperado eliminado por um novo membro que preencha as condições do estatuto da entidade.

Investigue antes
Para evitar problemas, é importante saber se a cooperativa de seu interesse está registrada na Organização das Cooperativas Brasileiras. Para isso, você deve entrar no site da OCB e localizar a unidade que fica em seu estado. Outros detalhes que você precisa saber antes de entrar nesse tipo de negócio:

  • Uma cooperativa habitacional deve ter o seu estatuto aprovado em assembleia, do qual devem constar as regras de seu funcionamento. Nas assembleias realizadas pela associação, todos têm direito a voto.
  • Além disso, todos os participantes têm o direito de fiscalizar o trabalho realizado e qualquer um pode exigir que a diretoria e o conselho, eleitos em assembleia, sejam desfeitos, caso haja alguma irregularidade comprovada.
  • Os associados precisam ter acesso às plantas, relatórios financeiros e a todos os outros documentos que mostrem o andamento da obra.
  • Os cooperados também devem visitar as obras ao menos uma vez por mês, para garantir que a execução está de acordo com as decisões coletivas e com as prestações de contas da diretoria.

Tags: Dívidas e Financiamentos finanças imóvel organização financeira

Veja mais