Previdência complementar: você no controle do seu futuro

Segundo pesquisa da Serasa Experian, dos dois mil jovens brasileiros entrevistados, 62% não fazem nenhum tipo de contribuição para a aposentadoria

Você já se questionou quanto quer ganhar mensalmente quando parar de trabalhar? Saiba que mesmo jovem e no início da vida profissional, essa pergunta pode ser determinante para definir estratégias de investimento.

Apesar de terem conhecimento sobre as mudanças na Previdência Social, os jovens no Brasil parecem querer negar que para haver conforto no futuro, necessitam começar a investir agora.

“Imagino meu futuro como se fosse o presente. Poupo para ter mais segurança financeira e para comprar meu primeiro imóvel; também invisto em previdência privada a fim de garantir um pouco mais de conforto quando eu me aposentar”, conta a jornalista Ariane Sales, de apenas 27 anos. Preocupada desde já em garantir uma aposentadoria confortável, a jovem é uma exceção no país, segundo pesquisa da Serasa Experian, dos dois mil jovens brasileiros entrevistados, 62% não fazem nenhum tipo de contribuição para a aposentadoria, apenas 31% contribuem com o INSS e somente 1% com a previdência privada.

Para Cristiano Brasil, especialista em mercado de capitais e autor do livro “A Cartilha do Dinheiro”, os jovens precisam do auxílio de pessoas mais experientes. “O que estamos vendo hoje é que existe muita gente que ainda nem saiu da casa dos pais e já está contraindo dívidas. Esse público precisa urgentemente procurar ajuda de alguém mais velho e mais experiente para colocar as coisas em ordem”, afirma.

Muitos jovens profissionais têm dificuldade de economizar porque acreditam que poupar implica em abrir mão do prazer de viver o hoje. “Isso não é verdade. Se eu consigo economizar R$ 100 reais por mês, não preciso destinar tudo a uma poupança. Posso guardar uma parte e utilizar a outra para consumir agora o que gostaria de obter, seja um produto, um serviço ou uma experiência”, explica o educador financeiro Francis Hesse, economista com MBA em planejamento financeiro pessoal. Segundo ele, os jovens contam com a vantagem do tempo e podem se sujeitar a sacrifícios muito menores na hora de poupar. “Quanto mais cedo se começa, menos se precisa contribuir, menor é o sacrifício”, diz.

Há mais de um caminho disponível para os jovens que querem poupar pensando no futuro. Francis afirma que o Tesouro Direto é uma boa opção, desde que seja a longo prazo. Quem tem a oportunidade de recorrer à previdência privada também pode colher boas vantagens da aplicação, especialmente se a patrocinadora é a empresa onde trabalha. “Considere um plano no qual você deposita um valor e, em contrapartida, tem a mesma quantia depositada pela empregadora. Esse é um ótimo negócio, não existe outra aplicação na qual você já comece ganhando 100%”, afirma o educador.

Tags: aposentadoria futuro previdência previdência complementar

Veja mais