Saiba como se organizar para comprar seu primeiro imóvel

Após o pagamento da entrada e das comissões para corretores imobiliários, você enfrentará um longo período de pagamentos

Comprar a casa própria é o sonho de 10 entre 10 brasileiros. Mas não é tarefa fácil: exige planejamento, dedicação e uma boa dose de conhecimento. Esta é, provavelmente, a maior despesa que alguém pode ter na vida.

Após o pagamento da entrada e das comissões para corretores imobiliários, você enfrentará um longo período de pagamentos mensais que poderão comprometer a sua qualidade de vida caso você vá além de suas possibilidades.

O primeiro passo é ter uma renda estável. Não é possível prever tudo o que acontecerá em sua vida nos próximos anos, mas uma expectativa realista pode evitar muita dor de cabeça. Se você acabou de entrar em seu emprego, é bom esperar um pouco mais para que se tenha uma ideia do quão estável é a sua situação financeira.

Caso não haja urgência para a mudança, considere a opção de comprar o imóvel ainda na planta. Muitas vezes é vantajoso esperar por mais alguns anos, pagando bem menos. Se for esta a sua opção, esteja preparado para quando chegar a hora do pagamento das chaves - uma pesada parcela intermediária que existe na opção da compra do imóvel na planta e é condição para obter a posse do imóvel. Muitos compradores optam por financiar esse valor junto ao banco.

Documentação

Certifique-se de que não haverá problemas na emissão do Habite-se do imóvel na época da entrega. Sem esse documento, é quase impossível conseguir o dinheiro emprestado em uma instituição financeira. Além disso, o proprietário que se muda para o imóvel sem o Habite-se está sujeito a multa e encontrará muitas dificuldades caso decida vendê-lo.

Planeje-se também para os gastos com manutenção e futuras benfeitorias em seu lar. Um vazamento, um chuveiro queimado, uma reforma aqui ou ali, tudo isso certamente acontecerá, cedo ou tarde. Outros gastos que podem passar despercebidos durante a euforia inicial na hora da compra incluem o pagamento do condomínio, taxas extras, juros sobre as parcelas de seu financiamento, despesas com seguros e o IPTU. Esquecê-los durante o seu planejamento é garantia de surpresas desagradáveis no futuro.

A parcela do IPTU varia de acordo com o valor do imóvel e da alíquota aplicada em seu município (a exceção é no Distrito Federal, que possui a sua própria alíquota). Pesquise o valor estimado dos imóveis próximos ao seu e faça uma estimativa de quanto irá pagar.

Mas não se assuste. O objetivo dessas dicas não é desestimular a compra do imóvel, mas ajudá-lo a planejar com calma e dar esse importante passo na hora certa. Mesmo com todos os gastos envolvidos, comprar uma casa ou apartamento é, em geral, um ótimo investimento, especialmente se o local tiver potencial para valorização.

Tags: economia finanças imóvel investimento

Veja mais