Salário alto e dívidas acumuladas? Reveja seus hábitos financeiros

Estudo revela que falta de organização financeira está diretamente ligada a inadimplência

Uma pesquisa divulgada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) aponta que a inadimplência do brasileiro está mais ligada a maus hábitos financeiros do que a falta de dinheiro. Ou seja, as famílias estão endividadas porque não têm controle dos próprios ganhos e consomem impulsivamente, evidenciando a falta de planejamento e organização no orçamento doméstico. Muitas vezes, o salário está longe de ser baixo e mesmo assim as dívidas vão se acumulando.

A conclusão da pesquisa, resultado do cruzamento dos dados de quatro levantamentos feitos ao longo do ano passado, indica que pessoas com dívidas não têm necessariamente renda menor que aquelas que pagam as contas em dia. A conclusão do estudo, segundo a economista do SPC Brasil Luiza Rodrigues, é que a diferença entre adimplentes e inadimplentes é a mentalidade em relação a dinheiro.

“De maneira geral, os estudos sugerem que consumidores adimplentes adotam práticas financeiras mais cautelosas e conservadoras, independentemente da classe social a qual pertencem. Isso inclui hábitos como o de planejar os gastos, poupar dinheiro para uma emergência e o de não emprestar o próprio nome a terceiros. Em muitos casos, os estudos sugerem que adoção de hábitos simples de planejamento financeiro poderia ter evitado a situação inadimplência. E comportamentos impulsivos de compra e hábitos de risco foram detectados em todos os extratos sociais”, explicou.

Bom comportamento
Uma das pesquisas usadas no cruzamento de dados do SPC Brasil mostra alguns bons hábitos adotados por aqueles que mantêm as contas em dia. Por exemplo: 76% dos adimplentes fazem lista de compras antes de ir ao supermercado; 83% pesquisam preços antes de comprar qualquer produto ou serviço; e 63% acompanham mensalmente das suas receitas e despesas. Já entre os endividados, esses percentuais são 61%, 66% e 38%, respectivamente.

Outra diferença de comportamento apontada pelo estudo é a atitude em relação a dívidas. Os adimplentes consideram que elas são evitáveis: 93% adotam hábitos com o intuito de não se endividar, controlando impulsos na hora de comprar ou planejando o orçamento. Além disso, 35% das pessoas pertencentes a esse grupo guardam dinheiro para emergências. Entre os devedores, por outro lado, 54% afirmam que suas dívidas atuais não poderiam ter sido evitadas.

“Os resultados apontam para uma alta frequência de consumidores impulsivos, levados pela moda, propaganda ou desejo de auto-afirmação. Além disso, a inadimplência parece estar ligada, em muitos casos, à falta de hábitos simples de planejamento financeiro e de precaução contra emergências”, explica a economista do SPC Brasil, Luiza Rodrigues.

Tags: classes econômicas dívidas hábito inadimplência organização renda SPC

Veja mais